O tempo e a conversa sobre sexo

Há alguns anos, quando eu nem pensava em ser mãe, recebi um dos melhores “conselhos” sobre a maternidade. Quando eu dava aula de ballet, a mãe de uma das minhas alunas tinha um filho de 13, uma de 5 e um bebê. Ela me disse: “Antônia, eu fui mãe jovem e achava que isso facilitaria, porque eu saberia identificar ‘tudo’ que estava rolando… Acontece que inventam coisas novas, pegam a gente de surpresa e ficamos sem saber como lidar. Pode anotar, você acha que sabe tudo e eles surgem com algo novo que você não vai saber lidar!”

Eu achava que isso se encaixava muito bem com drogas e tal, mas hoje vi que esse conceito é BEM mais amplo.

É muito louco como as coisas mudam em 15 anos e a gente nem percebe… Estava assistindo o Erótica MTV com a Babi e o Dr. Jairo, de 1998, que teve como convidado o Dinho Ouro Preto (que envelheceu BEM, ao contrário do que dizem por aí) e é muito engraçado vê-los meio constrangidos falando sobre o assunto. Dinho e Babi não souberam como responder a pergunta “O lugar mais estranho que transaram”, ficaram rindo, meio tímidos. Ainda se falava em “sexo anal” e não em “dar o c•”

É BEM diferente do pouco que assisti do último programa sobre sexo da MTV, que tinha o Didi e uma outra menina que eu não sei o nome, falando como dar o c• para duas pessoas ao mesmo tempo (sei lá se era esse o tema, mas o negócio era daí pra baixo). Não acho que os assuntos tenham que virar tabus e até imagino que a arte imita a vida o tanto que a vida imita a arte, ou seja, ou o programa da MTV adaptava a sua linguagem sobre sexo, ou iam parecer uma aula chata de educação sexual na escola. 

Mas o fato é que fui pega totalmente de calças curtas. Eu fico pensando como estará o diálogo sexual nas mídias daqui 15 anos, quando o meu filho estiver no seu “auge hormonal”. Se não sei lidar hoje, que dirá daqui 15 anos. Meus pais me deram aquele livro “De onde viemos” e sempre pensei que faria isso com meu filho, e depois de alguns anos eu daria o “O que está acontecendo comigo?”, sobre puberdade.

Boba eu…

Dá um certo “medinho” que ao invés de querer saber de onde vêm os bebês, meu filho vai perguntar o que é orgia.  

Puxado.

E aí, alguém mais têm esse medo ou só eu sou careta e tenho ZERO jogo de cintura?

Como lidar?

Tem como se preparar para essa fase?

Imagem

Anúncios

Um comentário sobre “O tempo e a conversa sobre sexo

  1. Na epoca que as minhas filhas eram pre-adolescentes comprei os mesmos livros pra elas…e achei que estava muito “moderna” …afinal , eu nao tive nem isso – aprendi com amigas e tive alguns constrangimentos por ser muito mal informada. Nao fui a mais moderna das maes, mas acho que tentei…e até fui criticada por isso – a ponto de ouvir : “vc esta incentivando tuas filhas a fazerem sexo antes da hora certa!!” – e quando é a hora certa? Porém, acho que nunca seremos totalmente preparadas pra falar “naturalmente” sobre sexo com nossos filhos, porque isso nos mostra que eles ja cresceram…e isso nos assusta um pouco. Penso que manter um relacionamento amigo e sincero com eles ja é uma ajuda na hora de ter de tratar de assuntos delicados, como sexo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s